Pular para o conteúdo

O ser humano sempre teve uma gana muito grande em rotular as coisas e pessoas.

Muito raramente as pessoas quando se conhecem não perguntam umas às outras o que fazem para que então lhes coloquem uma legenda de identificação, quando já não as têm, porque somente o nome não é suficiente para identificação.

Há uma necessidade grande em se rotular o músico ou a música.

"Você é músico do quê?", "Erudito ou popular?", "Jazz ou Rock?", "Qual o estilo desta música?", "É secular ou gospel?" são perguntas frequentes da curiosidade musical humana. ...continuar lendo "Rótulo Musical"

10

Quem é o melhor violonista do Brasil? Qual o melhor guitarrista do mundo?

Quando fazemos essas perguntas estamos nivelando pessoas, e quando nivelamos pessoas existe uma probabilidade enorme de estarmos cometendo injustiça no que diz respeito a exclusão e eliminação.

Ao contrário de uma competição, onde é necessária uma avaliação com suas pontuações pré-definidas sem as quais não é possível classificar ou até eliminar, a música, a arte em geral não é um campeonato em que alguns são vencedores e muitos são perdedores, eliminados, excluídos. ...continuar lendo "Qual o melhor do mundo?"

7

Take 5, Take 4, Take 6, Take 3...
Tem fórmula de compasso a escolher...
Este jazz do Paul Desmond, que ficou conhecidíssimo pelos fãs do jazz através da gravação do Dave Brubeck, que pode ser apreciada logo abaixo, é originariamente em compasso 5/4. Eu toco a parte A como no original e na passagem para a parte B faço um 4/4 pra quebrar, e nas improvisações uso 6/4, 7/4, 3/4 e juntamente improviso dentro das diversas possibilidades dentro de um mesmo acorde em diversos modos diferentes: Am, Am6, Am b6, A7 9, A7 #9, A alt, A dim, etc... ...continuar lendo "Take Five"

O velho e tradicional hino do hinário "Cantor Cristão - Em Jesus amigo temos" com uma roupagem jazzística com bastante improvisação.
Nesta gravação utilizei microfonação com o Shure SM-57 mixado com a captação RMC. ...continuar lendo "What a friend we have in Jesus"

Esta é uma versão de "Via Dolorosa", uma música com harmonia simples e uma melodia arrasadora.
Usei um Behringer V-Tone GDI-21 com simulação de amplificador dando uma saturação clássica no som da guitarra.
Após isso tratei o som com o Sonar 6.0 utilizando equalizadores, reverb e principalmente o processador de efeitos nativo do programa com um poderoso compressor, o Vintage Channel VC64. ...continuar lendo "Via Dolorosa"

Jesus Cristo mudou meu viver. Eu fiz um pequeno arranjo em estilo jazzístico nessa música, na concepção harmônica, e também em função das inúmeras improvisações melódicas e rítmicas dentro do tema...
A improvisação na verdade nada mais é do que uma releitura instantânea da música de acordo com a experiência, conhecimento musical e técnica.
É uma homenagem a música de acordo com seu estado de espírito. ...continuar lendo "What a Difference You've Made in My Life"

Eu gravei um pequeno teste com acordes e improvisos no Violão Ramá Modelo "Original".
Tem um timbre muito bom, aveludado, mas tem que saber regular bem a equalização, pois se usá-lo no máximo de agudos o som fica muito estridente, portanto perde o brilho.
É um violão muito leve(tanto pra tocar como pra carregar) e macio, não indicado para quem tem técnica pesada como é meu caso, pois tive que segurar bem a mão, porém dá uma velocidade muito grande. ...continuar lendo "Teste Violão Ramá"

Essa música, do ASAPH BORBA, do CD, aliás, do "disco" de Vencedores por Cristo - Louvor IV, tem um ar de flamenco, não na concepção rítmica, mas na improvisação, então eu fiz um pequeno arranjo em cima. Espero que gostem... ...continuar lendo "O meu louvor"