Pular para o conteúdo

Ai está um improviso em estilo fusion, que é uma mistura de jazz, funk, rock e etc. Embora apareça no vídeo, o amplificador da Ibanez não está sendo usado. É só por questão de estética. Eu utilizei o Guitar Rig 4 com simulação de um Marshall 8080. Para gravar com o amplificador microfonado eu precisaria ter uma ambientação acústica que não tenho.

Estou usando uma Gibson Studio Faded Cherry. Já tive Gibson Custom de 1986 e fora o peso e estética é a mesma qualidade. Comprei com medo mas depois que eu pluguei e toquei eu disse: "É uma Gibson"

Ainda nessa fase Cool Jazz ai vai mais um sucesso. Esse standard de jazz famosíssimo e muito regravado por ai é do Thelonius Monk, pianista dos anos 40 que ao contrário dos outros que improvisavam com muitas notas, era econômico e com 2 ou 3 notas fazia o que outros faziam com 10. O que importava eram poucas e boas notas.
Essa música foi até tema do filme com o mesmo nome, de 1986, do diretor Bertrand Tavernier, Por volta da meia noite, tradução daqui é um filme repleto de musicalidade e com grandes nomes do jazz como Dexter Gordon, Herbie Hancock atuando e tocando à rodo. Vale a pena assistir. Aqui eu dou um toque violonístico e faço algumas improvisações. Gravei com um C3 da Behringer e processei no Sonar X1 com reverb e o Tube Leveler, simulador de pré valvulado para deixar o som mais quente.

O Cool Jazz é um estilo muito difundido pelo Miles Davis nos anos 40. Trata-se de uma melodia lenta, onde se faz cada nota valer, com ar melancólico e que alguns arriscam dizer que é uma melodia preguiçosa. Neste estilo está fora o virtuosismo de notas rápidas. Alguns nomes do cool jazz são: o saxofonista Lester Young, arranjadores como Gil Evan e Gerry Mulligan, o trompetista Chet Baker, que foi chamado de "príncipe do cool jazz", o The Dave Brubeck Quartet que gravou o álbum Time Out em 1959 que fez um grande sucesso entre outros.
Esta música Blue in Green é do álbum do Miles Davis Kind of Blue de 1959.

Música do Steve Wonder que também foi gravada pela Gal Costa. É uma balada pop que eu gravei numa linguagem violonística com direito a algumas improvisações. Um dos raros vídeos que tem um fundo verdadeiro em pleno sofá e à vontade. Usei os microfones C3 da Behringer e o SM-57 da Shure em estéreo cada um com um timbre peculiar mas que juntos dão um timbre muito gostoso ao violão.

Famoso standard de jazz com inúmeras regravações. Aqui faço o tema com algumas improvisações em cima. A curiosidade aqui é que gravei esta música no banheiro pra testar o Behringer C3 com certa ambiência ligado no modo Omni para captar a ambiência. Mesmo assim eu coloquei um pingo de reverb pra compensar o espaço muito pequeno. Tudo isto como experimentação sem deixar de lado a qualidade. Para gravar nessas condições precisa haver uma vedação acústica muito grande para não comprometer o todo. Para não haver ruídos comprometedores que o PC costuma deixar,  já que o meu é muito barulhento, gravei em outro ambiente e controlei a gravação pelo Sonar X1 remotamente pelo IPAD que é totalmente silencioso. Bastante trabalhoso e tem que torcer para que na madrugada não haja nenhum barulho externo à residência.

Música do George Benson que ele gravou nos 80 com o Earl Klugh. Estilo Smooth Jazz que é basicamente um pop um pouco mais refinado harmonicamente. Usei microfone Behringer C3 para a captação com ajuste direcional. Gravei esta música muito rápido talvez pela simplicidade dela embora em qualquer música eu sempre tento me utilizar de todos os recursos melódicos, harmônicos e rítmicos que são também muito importantíssimos na hora da execução.

Música do João Bosco com uma levada de samba. Este estilo combina muito bem com o violão. É bem complicado para o violonista iniciante e intermediário pois requer uma complexidade na mão direita para fazer a rítmica e isso muito mais quando se faz a harmonia, melodia e ritmo tudo ao mesmo tempo. Mas este é um swing que está mais latente no brasileiro. Nossa música é muito rica e muito exportada pra vários continentes e as vezes mais conhecida por lá do que por aqui. Utilizei como captação o microfone da própria câmera já que o isolamento acústico estava perfeito. Mas foi um teste e não pretendo fazer novamente.

Escolhi esta relíquia do velho hinário batista, o Cantor Cristão e fiz um arranjo com algumas improvisações dentro do meu estilo que é uma mistura de clássico com toques de flamenco e jazz basicamente. A música é bem simples o que torna maior o trabalho de reharmonizá-la mas no final fica com um sabor bem temperado.

Música do CD Violão Jazz com ritmo de blues, mas com uma harmonia e compassos fora do padrão.

Utilizei uma guitarra Aria Pro II Custom Japonesa de 1985, minha "Tigresa" que me acompanha desde 1992 (e pelo jeito não deixará de me acompanhar) com captação Seymour Duncan JB SH-4 na ponte. No braço uso o '59 SH-1, porém não nesta música.

Utilizei o drive do Yamaha Magic Stomp Acoustic e processei com os plugins do Sonar 8.5, tais como o Tube Leveler, simulando um valvulado e o reverb da Sonitus. Os improvisos(2 chorus) são evidentemente diferentes da gravação do CD, assim como o timbre da guitarra, mais cheio e rasgado.

Para quem acha que tudo é fácil, ai vai mais ou menos o tempo investido para criar um vídeo com o mínimo de equipamento necessário. É certo que um equipamento superior e um ambiente adequado gera um gasto de horas significativamente menor, menor, porém sou brasileiro. Tiro água de pedra!

  • 2:30 h para a montagem da iluminação, ventilação(para não ser cozido pelos iluminadores e temperatura ambiente de Americana), tela de chroma key, foco de vídeo e captação de áudio.
  • 1:30 h de gravação até ficar o take adequado
  • 1:00 h de edição e processamento de áudio(o playback já estava mixado para o CD)
  • 1:30 h para renderizar o vídeo no Adobe Premiere
  • 35:00 h de edição e processamento de vídeo e sincronização com o áudio
  • 3:30 h para compilar o vídeo
  • FALHA no sincronismo... um leve atraso no áudio que me irrita demais
  • 5:00 h para sincronizar o áudio (precisa compilar pedaços do vídeo e o PC parece uma carroça e ainda faltava reinstalar um pacote de CODECS de vídeo não salvos na última restauração do PC)
  • 3:30 h para recompilar o vídeo
  • FALHA em alguns pontos da tela do chroma key aparecendo sutilmente, porém me irrita novamente
  • 0:30 h para acerto de vídeo
  • 3:30 h para a segunda recompilação
  • VÍDEO PRONTO. Obviamente algumas coisas me incomodam, porém está satisfatório e aceitável.
  • 7:30 h para enviar para o Youtube. Afinal são 1.45 GB.

O vídeo do Corcovado levou 3 semanas pra ficar pronto, e trabalhando neste mesmo ritmo.
Total em torno de 60 h úteis em 4 dias. Obviamente algumas vezes eu deixava compilando e saia para dar uma caminhada, mas foi uma média de 15 horas por dia.
Muito trabalho, mas creio que valeu a pena. O fato de saber que estou contribuindo musicalmente para algumas pessoas já é o suficiente.

Para quem acha que tudo é fácil, ai vai mais ou menos o tempo investido para criar um vídeo com o mínimo de

equipamento necessário. É certo que um equipamento superior e um ambiente adequado gera um gasto de horas

significativamente menor, menor, porém sou brasileiro. Tiro água de pedra!
2:30 h para a montagem da iluminação, ventilação(para não ser cozido pelos iluminadores e temperatura ambiente de

Americana), tela de chroma key, foco de vídeo e captação de áudio.
1:30 de gravação até ficar o take adequado
1:00 de edição e processamento de áudio(o playback já estava mixado para o CD)
1:30 para renderizar o vídeo no Adobe Premiere
35:00 de edição e processamento de vídeo e sincronização com o áudio
3:30 para compilar o vídeo
FALHA no sincronismo... um leve atraso no áudio que me irrita demais
5:00 para sincronizar o áudio (precisa compilar pedaços do vídeo e o PC parece uma carroça e ainda faltava reinstalar um

pacote de CODECS de vídeo não salvos na última restauração do PC)
3:30 para recompilar o vídeo
FALHA em alguns pontos da tela do chroma key aparecendo sutilmente, porém me irrita novamente
0:30 h para acerto de vídeo
3:30 para a segunda recompilação
VÍDEO PRONTO. Obviamente algumas coisas me incomodam, porém está satisfatório e aceitável.
3:00 para enviar para o Youtube. Afinal são 1.45 GB.
O vídeo do Corcovado levou 3 semanas pra ficar pronto, e trabalhando neste mesmo ritmo.
Total em torno de 60 h úteis em 4 dias. Obviamente algumas vezes eu deixava compilando e saia para dar uma caminhada,

mas foi uma média de 15 horas por dia.
Muito trabalho, mas creio que valeu a pena. O fato de saber que estou contribuindo musicalmente para algumas pessoas já

é o suficiente.

1

Música composta por mim,  com  o primeiro violão (à sua direita) tocando o tema dividido em duas partes,  e improvisos com o segundo violão. Violões totalmente microfonados e processados no Sonar 8.5, com poucos efeitos  como compressor, chorus e reverb, colocados de maneira econômica,

Essa música tem um ar de flamenco nas improvisações, não deixando de mostrar meu lado jazzístico na construção de escalas.

O vídeo foi editado no Adobe Premiere CS3, utilizando a técnica de ChromaKey, o fundo verde substituído por outra imagem.